O Filme. O Trailer. O Poster. O Video-Clip. O Actor. A Actriz. O Realizador. Cinema enquanto passatempo, paixão e vício.
publicado por Fernando Oliveira | Segunda-feira, 25 Junho , 2007, 19:11
Quando acabar a maquiavélica época de exames e entrega de trabalhos, um comentário à curta portuguesa, de muito bom aspecto, "A Noiva".
Podem ver o trailer aqui.

publicado por Fernando Oliveira | Segunda-feira, 25 Junho , 2007, 19:10

tags:

publicado por Fernando Oliveira | Quarta-feira, 13 Junho , 2007, 16:02
" 1900"-dvd
De: Bernardo Bertolucci
Com: Robert De Niro, Gerárd Depárdieu
Itália, 1976, Cor


Alfredo Berlinghieri e Olmo Dalco nasceram no mesmo dia, apenas com alguns minutos de diferença. Alfredo é filho de uma família de proprietários rurais na Itália do inicio do século XX e Olmo é filho da família de camponeses que trabalha para eles. Tornam-se grandes amigos mas a origem social de cada um será um factor determinante na forma como se relacionam entre si e com todas as outras personagens que os rodeiam.

Depois de uma obra-prima como “Ultimo Tango em Paris”, seria de esperar que um normal realizador apresentasse um trabalho inferior, mas Bernardo Bertolucci não é um vulgar realizador. Com 1900 o italiano apresenta-nos um épico, em duração, mas também em meios e em narrativa. Iniciado no inicio do século passado(em 1901), Bertolucci conta-nos a estória de duas personagens mas também as convulsões sociais de Itália estão presentes: desde a tensão latente das lutas laborais do incio do século até ao confronto, de facto, da ascensão do Fascismo Mussoliniano e repressão dos Comunistas. Conhecido pelo gosto em usar elaborados movimentos de câmara, Bertolucci não desilude neste filme. Os planos de movimento nos campos são apenas um dos pontos fortes deste filme que contava com dois jovens actores nos papeis principais: Robert DeNiro e Gérard Depardieu. Ainda a destacar a magnífica fotografia de Vittorio Storaro, um grande contributo para a exuberância discreta dos cenários, vísivel na subtil alteração do interior das casas das personagens, uma evolução natural no nível de vida do século XX.

Nesta edição em DVD encontramos o filme divido em dois discos: uma inevitabilidade dadas as mais de 4 horas de duração, mas tratando-se de uma edição dupla seria normal esperar algo mais que apenas duas featturetes com comentários do realizador e do director de fotografia. Apesar de uteís para o espectador se aperceber de pormenores à primeira vista escondidos, será demais pedir entrevistas com actores ou mesmo a opinião de um historiador quanto à exactidão dos factos retratados?

* texto publicado na edição de 19 de Maio do Jornal Uiversitário A Cabra
tags:

publicado por Fernando Oliveira | Terça-feira, 12 Junho , 2007, 21:52



"O Jim Carrey é uma espécie de Jerry Lewis com dois quilos de Cocaína!"







publicado por Fernando Oliveira | Segunda-feira, 11 Junho , 2007, 21:44
Parece que foi ontem que vi pela primeira vez, numa segunda-feira à noite, na Sic, o capítulo IV de Star Wars. Na altura senti-me bastante confuso por não saber onde andavam os três episódios anteriores, mas só por alguns segundos, porque depois... Uma nave de batalha imperial dominava o ecrã, em perseguição ao que se assemelhava muito a um pequeno bote salva-vidas onde iam os Rebeldes da Princesa Leia... Ao assistir a esta cena clássica num pequeno ecrã (numa tv que já nem está cá em casa) fiquei imediatamente arrebatado. O resto do filme não desiludiu e o episódio seguinte ( O Império Contra-ataca) deixa qualquer espectador com os cabelos em pé ao saber a terrível verdade sobre a filiação paternal da personagem principal.
Mas divago. A vinte e cinco de Maio do Ano do Senhor de 1977 estreava em 32 salas norte-americanas o filme que impressionou tanto publicos como cineatas (Ridley Scott, já na altura a pensar numa experiência claustrofóbica com um Oitavo Passageiro, disse as seguintes palavras: "Bolas! Alguém o fez antes de mim...").
Conhecido em todo o mundo, este filme fez a fortuna e a reputação de George Lucas, apesar de o próprio quase ter destruído a ultima com uma coisa chamada "Howard the Duck". Star Wars lançou também para o estrelato três jovens actores, tendo sido o início de uma carreira fantástica para Harrison Ford, amaldiçoado a de Mark Hammill (continua a ser confundido com a personagem que interpretava) e revelado uma jovem Carrie Fisher que teve de contrariar a própria mãe para aceitar o papel.
Sinto que por mais palavras que escreva nunca farei justiça a este fenómeno de bilheteira, mas também inovação na forma de fazer Cinema (sim, com Maíscula) que foi a Guerra das Estrelas.
Peço desculpa pela linguagem demasiado comprometida com o objecto, mas este é daqueles filmes que me ficaram na memória desde a infância e que só cresceram na minha consideração quando aprendi (processo contínuo, ainda continuo a aprender) a ver Cinema.~
Parabéns, ainda que atrasados, ao George, ao Obi-Wan Kenobi, Darth Vader, Luke Skywalker, Leia Organa, Han Solo, Chewbacca, Greedo, Bobba Fett, Jabba the Hut, Lando Calrissian, Imperador Palpatine, etc etc etc...

mais sobre mim
Junho 2007
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
26
27
28
29
30


pesquisar neste blog
 
blogs SAPO
RSS